Editorial

  • Elisa Guaraná Castro

Resumo

Editorial

A Revista Eletrônica Juventude e Políticas Públicas é uma revista técnico-científica, de tiragem semestral, publicada exclusivamente em meio eletrônico, cujo objetivo é dar visibilidade à produção técnica e acadêmica sobre temas correlatos a políticas públicas de juventude. Esta iniciativa integra a missão da Secretaria Nacional de Juventude em fortalecer a produção de conhecimento sobre juventude e políticas públicas.

Para tal, a SNJ criou em julho de 2013 o Participatório - Observatório Participativo da Juventude. Os observatórios têm sido cada vez mais conhecidos e reconhecidos pela sociedade por seu papel voltado à análise - e reflexão e também como referência no acompanhamento e fiscalização de um determinado setor ou de temas específicos. Inspirado nas redes sociais, a proposta do Participatório dialoga com a ideia de um observatório, mas busca também articular uma rede formada por jovens ativistas, pesquisadores, gestores voltada à produção do conhecimento sobre e para a juventude brasileira e à participação e mobilização social. Desse modo, o Participatório se coloca como instrumento para articular diferentes objetivos da Secretaria Nacional de Juventude, produzir conhecimento em rede, com participação e mobilização.

O Observatório tem atualmente disponível: dados e pesquisas, biblioteca digital, Centro de Documentação e Pesquisa sobre Juventude e Políticas Públicas (CEDOC-PPJ), rede de pesquisadores de juventude, consultas públicas, comunidades temáticas, blog, transmissões online, interação com outras redes, publicações, Boletim Juventude Informa.

A Revista é coordenada pelo Participatório – Observatório Participativo da Juventude e compõe-se de estudos, memória, registro e reflexão multidisciplinar. Sua política editorial procurará materializar em artigos, ensaios, dossiês, reportagens, fotografias, resenhas e traduções as análises empíricas e teóricas sobre a política pública de juventude para que a sociedade, gestores, especialistas, acadêmicos, pesquisadores e outros agentes interessados na temática possam acompanhar a produção do conhecimento e a análise dos dados que compõem o cenário da Juventude no contexto nacional e internacional.

Cada edição possuirá uma linha temática, proposta pelo seu Conselho Editorial, e divulgada por meio de chamada pública para recebimento de trabalhos. Os artigos serão selecionados por meio de análise de comissão de avaliação instituída a cada edição, pelo sistema de duplo cego. A revista tem como princípios o acesso livre e aberto à informação e ao conhecimento e o estímulo à produção de jovens pesquisadores. Sua disponibilização eletrônica será por meio do Sistema de Editoração Eletrônica de Revistas (SEER/IBICT), uma customização brasileira do Open Journal Systems (OJS).

Para inaugurar a Revista Eletrônica Juventude e Políticas Públicas trazemos a Edição Especial Participatório em Rede - Panorama das Pesquisas em Políticas de Juventude, com os artigos selecionados para o Participatório em rede – encontro de pesquisadores e pesquisadoras de politicas de juventude. O Encontro foi realizado de 2 a 4 de setembro de 2014, pela SNJ, em Brasília e reuniu mais de 100 pesquisadores de todo o país. Os participantes foram selecionados por chamada pública e com priorização para as regiões Norte, Nordeste e Centro Oeste. A seleção permitiu a participação de graduados, mestres e doutores promovendo um encontro de grupos, redes e pesquisadores independentes sobre temáticas diversas. O objetivo era traçar um panorama da produção atual, em especial daquela menos visibilizada por não estar nos grandes centros de produção científica do país.

 Quem são as pessoas que pesquisam temas ligados à juventude brasileira? Que temáticas despertam maior interesse? Quais são os desafios para produzir conhecimento sobre juventude e políticas públicas hoje? Essas foram algumas das perguntas que motivaram a realização do Encontro, realizado em parceria com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), o Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT), e contando com a participação de representantes de ministérios que executam políticas de juventude.

 Os onze artigos que integram essa Edição Especial estão agrupados sob as seguintes temáticas: Identidades e Diversidade, Participação Política, Juventude e Políticas Públicas, Educação e Trabalho, Cultura e Comunicação, e por fim, Violência, Segurança e Periferia.

 Além dos artigos a Revista traz uma entrevista com o Observatório Capixaba, uma experiência referência em produção sobre políticas públicas da sociedade civil.

 Para o primeiro número da Revista o tema será Dez anos da Política Nacional de Juventude. Aguardamos a colaboração por meio da chamada pública lançada no dia 15 de dezembro de 2014.

 Esperamos que essa inciativa some à rede pulsante de pesquisadores que hoje contribuem para que a cada dia os anseios e dilemas da juventude se tornem mais visíveis à sociedade brasileira.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elisa Guaraná Castro
Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1992), mestrado em Sociologia e Antropologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1995) e doutorado em Antropologia Social pelo Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro (2005). Atualmente é professora associada da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro e Coordenadora-Geral de Politicas Transversais da Secretaria Nacional de Juventude Tem experiência na área de Sociologia e Antropologia, atuando principalmente nos seguintes temas: reforma agrária, juventude, juventude rural, políticas públicas, identidade social e identidade politica.
Publicado
2014-12-16
Como Citar
1.
Castro EG. Editorial. Juventude e Políticas Públicas [Internet]. 16º de dezembro de 2014 [citado 1º de dezembro de 2020];1(1). Disponível em: https://revistasnj.mdh.gov.br/index.php/snj/article/view/EDITORIAL